Europa barroca

O barroco, movimento artístico que compreende múltiplas manifestações, como a literatura, a pintura, a arquitetura, ou música, desenvolve-se na europa a partir de finais do séc. XVI. Como expressão das contradições que o ser humano vivia no contexto em que esta estética surgiu - época marcada pela Reforma Protestante e pela Contra Reforma -, o barroco incorporou o exagero, o paradoxo, a antítese, a religiosidade e os traços da cultura clássica nas suas produções, tornando-se, muitas vezes, sinónimo de extravagância. 

O profundo interesse pela arte da Antiguidade Clássica transita do renascimento, mas interpretada agora de forma diferente, com um esplendor exuberante.

No âmbito da música, assistimos a uma maior variedade e complexidade na performance, desenvolvendo-se novas técnicas interpretativas, novos instrumentos e novas formas musicais, como a ópera, a cantata ou o concerto grosso.


Neste programa, o ensemble CUORE ARMONICO apresenta um repertório eclético que aborda os principais marcos estéticos e estilísticos do período barroco europeu. Um dos pilares deste percurso é representado por Itália, desde a nuove musiche seiscentista de C. Monteverdi ou G. Caccini, que marca o início deste período, ao virtuosismo de A. Vivaldi ou de D. Scarlatti, com a sua incontornável influência na cultura musical portuguesa do séc. XVIII, sobretudo em torno da corte de D. João V.

O programa explora ainda o exuberante estilo barroco francês, de J. B. Lully ou M. A. Charpentier, a música na Inglaterra de H. Purcell e G. F. Haendel, compositor que herda toda a racional perfeição do contraponto germânico, também aqui representada por aquele que é considerado por muitos como o mais completo e genial compositor de todos os tempos, J. S. Bach, com o qual se fecha este ciclo da história da música.